© 2019 por Poloni.Trade

  • Poloni.Trade

Principais diferenças entre Hashgraph e Blockchain

Embora seja a mais famosa não apenas entre as criptomoedas, a tecnologia de Blockchain, criada em 2008, encontra algumas limitações em sua escalablidade. Para tentar solucionar este problema, diversas soluções têm sido criadas, entre elas a Hashgraph.

Continue a leitura e descubra mais sobre as tecnologias e quais suas principais diferenças.

Características do Blockchain


A tecnologia Blockchain é um livro razão público que faz o registro de uma transação de criptomoedas, de forma que esse registro seja confiável e imutável.

Uma das principais características da Blockchain é a construção dos blocos de transações uns sobre os outros, formando o que nomeia esta tecnologia: uma cadeia de blocos, na qual cada bloco produz um hash exclusivo que identifica as transações.

Tendo um hash único por bloco, caso haja tentativa de alteração das informações da transação, um novo hash será gerado e a fraude será identificada. Além disso, a publicação das transações no livro razão público também impede a ocorrência de fraudes.


O que é o Hashgraph?


A Hashgraph é uma tecnologia de contabilidade distribuída baseada em consenso, na qual as transações não demandam proof-of-work para serem validadas e sim, consenso de todos os nós da rede. Assim, os usuários da plataforma devem concordar com a ordem em que as transações são feitas considerando que nenhum usuário é confiável. Após esse processo de consenso, as transações validadas têm data e horário do consenso registrado, o que elimina a necessidade de inseri-las em um livro-razão público. Esta tecnologia foi projetada para ser uma rede segura, justa e muito rápida.

A Hashgraph foi criada Leemon Baird e é propriedade da Swirlds Corporation.


Principais diferenças


  • Armazenamento de dados: embora ambos sejam descentralizados, a Blockchain armazena dados de forma linear em sua cadeia de blocos. Já a Hashgraph utiliza gráficos acíclicos e direcionados para o armazenamento e o acesso às informações.

  • Segurança: a Blockchain utiliza métodos de criptografia para garantir a segurança dos dados que transitam pela rede. A Hashgraph utiliza Tolerância de falha bizantina assíncrona (aBFT), a qual significa, de modo simples, que a rede pode chegar a um consenso, mas que computadores não maliciosos dela possam sempre se comunicar com tempo definido para que as mensagens sejam recebidas e presumindo-se que não existam ataques de botnets na rede.

  • Consenso: o consenso da Hash graph é determinado por voto virtual dado pelos nós da rede. Já a Blockchain tem seu consenso variado, pois cada criptomoeda ou solução que utiliza esta tecnologia adota o próprio algoritmo de consenso, tais como proof-of-work e proof-of-stake.

  • Velocidade: tal como o mecanismo de consenso, a velocidade da Blockchain varia de acordo com a solução que o utiliza, embora mantenha-se em um alcance de 100 a 10.000 transações por segundo. A Hashgraph é muito mais rápida, chegando a oferecer 250.000 transações por segundo.

  • Justiça: as transações da Hashgraph são mais justas pelo fato de que os nós dessa rede são alocados de forma aleatória e as transações são carimbadas com o tempo de consenso, portanto, nenhum usuário é afetado pela ordem de ocorrência das transações. Já na Blockchain os mineradores têm o poder de selecionar, encomendar ou interromper transações, podendo privilegiar algumas transações em detrimento de outras.

Pode-se perceber que embora funcionem para o mesmo propósito, registrar transações de forma a evitar fraudes, a Hashgraph apresenta diferenças principalmente em relação à velocidade e processo de consenso, o que poderia resolver os problemas de estabilidade da Blockchain.

Entretanto, a Blockchain ainda é a tecnologia mais adotada, não apenas para criptomoedas, mas também diversas outras áreas citadas no post “Novas aplicações da tecnologia Blockchain”.


Acompanhe nosso blog e descubra mais sobre os principais conceitos e novidades do mundo dos criptoativos.

110 visualizações