• Poloni.Trade

InformCoins - principais notícias no universo dos criptoativos | 24/11/2019 a 30/11/2019

Booking.com e Travala anunciam parceria


O serviço Travala, que possibilita aos usuários o pagamento de estadias em hotéis através de criptomoedas, anunciou no dia 25/11/19 uma parceria com o Booking.com.

A parceria permite que os clientes da Travala reservem hotéis disponíveis na plataforma da Booking, que conta com mais de 90.000 hotéis, utilizando criptoativos disponíveis na Travala como BTC, ETH, DASH, BCH, LTC, XLM e o token nativo do serviço, o AVA.

Sobre a parceria, Matt Luczynski, CEO da Travala, comentou à imprensa:

"Essa parceria permite que nossos usuários acessem a relação de acomodações do Booking.com, assim como aquelas listadas por vários outros grandes fornecedores de viagens, oferecendo um caso de uso fantástico para nosso token nativo AVA e outro grande passo em direção à adoção em massa de criptomoedas".


Fontes:

Cointelegraph

Decrypt


Coinbase patenteia sistema para identificação de contas suspeitas


A exchange estadunidense Coinbase anunciou a patente de plataforma de conformidade legal que bloqueia contas de usuário suspeitas.

Conforme a patente publicada pelo Escritório de Marcas e Patentes dos Estados Unidos, a plataforma se trata de um sistema de autoaprendizagem com sistema de avaliação que identifica contas que não estão em compliance com os padrões legais.

Para isso, o sistema utiliza pontuações de conformidade, as quais são determinadas por informações como saldo da conta, volume de transações e número de dispositivos utilizados para acessar a plataforma. Além disso, também são considerados o número de verificações de compliance e o histórico geral da conta.

Assim, o sistema classifica as contas em boas ou ruins, de acordo com padrões de conformidade e bloqueia automaticamente contas consideradas ruins. As contas consideradas suspeitas, caso gerem transações acima de US $ 2.000, têm as informações correspondentes à transação transmitidas aos órgãos policiais.

No entanto, por se tratar de um sistema de autoaprendizagem que pode cometer erros, o usuário terá a chance de contestar a decisão e desbloquear sua conta, caso ela tenha sido bloqueada indevidamente pelo sistema.


Fontes:

Decrypt

Cointelegraph


YouTube é utilizado para disseminação de malware ladrão de criptomoedas


A empresa de segurança Eset descobriu recentemente que os mesmos cibercriminosos responsáveis pelo botnet Stantinko, agora estão distribuindo um módulo de mineração da Monero (XMR) através do YouTube.

Em 26 de novembro, a Eset revelou que os cibercriminosos têm utilizado a plataforma de vídeos da Google para instalar malwares cryptojacking para mineração de Monero nos dispositivos dos usuários.

Tendo como principais alvos a Rússia, Ucrânia, Bielorrússia e Cazaquistão, o Stantinko desde 2012 utiliza canais do YouTube para disseminar módulos do código malicioso que se apropria de recursos de processamento do usuário e assumem processos legítimos do sistema para mascarar o roubo da criptomoeda Monero, tendo infectado mais de 500.000 dispositivos.

A Eset informou o YouTube, que toma atua na remoção dos canais disseminadores do malware.


Fontes:

Cointelegraph

Decrypt


Continue acompanhando semanalmente nossa coluna de notícias e esteja sintonizado com os principais acontecimentos do universo das cryptocurrencies.

145 visualizações

© 2019 por Poloni.Trade