© 2019 por Poloni.Trade

  • Poloni.Trade

Câmbio das criptomoedas: por que é tão flutuante?

Desde sua origem, os investimentos em Bolsa de Valores têm como característica a dinamicidade e a volatilidade. Influenciados por fatores sociopolíticos e econômicos, bem como pela especulação e o cenário do mercado, o preço e o lucro das ações pode variar inúmeras vezes no período de um dia, sendo um mercado bastante lucrativo, porém instável.

Com as criptomoedas ocorre o mesmo fenômeno. Por terem origem no ciberespaço e estarem inseridas na era digital, elas estão submetidas às incessantes transformações do mercado e das tecnologias. Porém, como todo o investimento, alguns fatores têm mais peso quanto à flutuação de câmbio que podem provocar nos criptoativos. Conheça agora os principais determinantes das variações de valor das criptomoedas.


Especulação


O principal fator para a flutuação do câmbio das criptomoedas é a especulação. Por serem transações de compra e venda muito rápidas, o valor não consegue se manter o mesmo por muito tempo, principalmente considerando a quantidade de pessoas realizando essas transações no mesmo momento, tendendo assim a oscilar inúmeras vezes em um período de um dia.


Lei da Oferta e da Procura


A lei de Adam Smith criada em meados de 1770 continua muito válida para as atuais movimentações do mercado financeiro. Considerando que as criptomoedas têm seu valor determinado pela quantidade de pessoas que se interessam por investir nelas, número o qual cresce exponencialmente, o preço irá se definir por uma análise entre quantas pessoas procuram comprar criptoativos quantas pessoas estão ofertando-os para vendas. Logo, isso se reflete em uma flutuação de câmbio que pode - ou não - ser bastante expressiva.


Mercado


O valor das criptomoedas é influenciado pela receptividade do mercado. Ou seja, quanto mais aberto e disposto a utilizar os criptoativos o mercado se mostra, melhor reputação as criptomoedas adquirem e, consequentemente, maior flutuação há em seu valor.


Altcoins e ICOs


Com a mesma facilidade que se é possível transacionar criptomoedas, também é possível criar novas criptomoedas - chamadas altcoins - ou lançar tokens equivalentes a ações de empresas em Bolsa de Valores, os ICOs. O aparecimento de novas criptomoedas gera um grande hype e isso provoca o interesse do mercado, logo, mais pessoas passam a investir em tais criptoativos alternativos e isso gera oscilações tanto no preço das Altcoins, quanto no preço da Bitcoin.


Regulação


A intervenção estatal no mercado de criptoativos também provoca variações no valor. Políticas de regulação do mercado ou a declaração de ilegalidade do investimento em criptomoedas em certos países faz com que o preço das criptomoedas apresente uma grande instabilidade. Países como Vietnã e Marrocos proibiram o uso de criptoativos argumentando que elas concorreriam diretamente com as moedas nacionais. Na China, as criptomoedas podem ser utilizadas pelo público e por empresas privadas para transações em exchanges, porém, instituições financeiras não podem utilizar criptoativos. Já a Venezuela criou sua própria criptomoeda, a Petro, ligada às reservas petrolíferas do país.


Cenário sociopolítico e econômico


O economista Eugene Fama, criador do conceito de Mercados Eficientes, afirma que os preços rapidamente se ajustam às informações que “fazem preço”, como mudanças na estrutura de capital e mudanças de política de dividendos. Logo, acontecimentos recentes e bastante expressivos como crises econômicas, eleições presidenciais, escândalos de corrupção, etc, causam flutuação do câmbio das ciptomoedas.


As criptomoedas são extremamente voláteis e suas oscilações podem ser provocadas pelos mais diversos fatores, entretanto, o investimento em criptoativos no contexto da nova economia digital é um caminho sem retorno, afinal, o novo sempre vem e podemos crescer com ele ou ficarmos obsoletos na corrida.


Continue conosco e descubra mais sobre o mundo das cryptocurrencies.

4,287 visualizações